Tatiana Clementino Pinto Toscano de frança Luiz Griz horge Pinho Erik Trovão Diniz Luena mim de Andrade Cynthia Salgado Lucena Susyane Ribeiro Beserra Nadja Maria jorge Asano Ângela Pinto Duarte Francisco bandeira

OBJETIVO: para avaliar o efeito no bisfosfonatos na hipocalcemia pós-paratireoidectomia em pacientes com osteíte fibrosa cística. MÉTODOS: foi ~ revisados os prontuários de seis paciente que fizeram uso pré-operatório de bisfosfonatos. RESULTADOS: a idade média foi de 35,6 ± 10,5 anos; calcio sérico 13,51 ± 0,87 mg/dL; PTHi 1.389 ± 609 pg/mL. O estimado médio de deoxipiridinolina urinária (UDPD) de três pacientes obtivermos de 131 ± 183 nmol/mmol Cr; e a partir de C-telopeptídeo (CTX) de 2.253 ± 1.587 pg/mL. Densitometria osso (escore T) obteve média de 0,673 ± 0,150 g/cm² (-4,42 ± 1,23) em coluna lombar (CL); 0,456 ± 0,149 g/cm² (-5,58 ± 1,79) em colo de fêmur (CF) e 0,316 ± 0,055 g/cm² (-5,85 ± 0,53) em rádio 33 (RD). Um paciente recebeu alendronato oralmente 30 mg/dia pela 4 semanas; o calcio diminuiu de 14 para 11,6 mg/dL e UDPD de 342 para 160 nmol/mmol Cr. Diversos usou alendronato boca 20 mg/dia por 6 semanas; o calcio baixou de 14 porque o 11,0 mg/dL e UDPD de 28,8 ao 14 nmol/mmol Cr. Um doentes recebeu pamidronato 90 mg endovenoso antes da cirurgia. Um paciente usou alendronato oralmente 140 mg/semana por 6 semanas; o calcio diminuiu de 13,7 porque o 12,3 mg/dL e emprego CTX de 2.160 para 1.340 pg/mL. Diversos usou alendronato VO 140 mg/semana pela 6 semanas; o calcio baixou de 14,3 para 14,1 mg/dL; emprego CTX não reduziu. Um paciente fez ibandronato 150 medicamento 10 dias antes de da cirurgia; emprego CTX cair em 62%. Ainda paciente desenvolveu hipocalcemia dig na primeira semana dá pós-operatório. Um ano após a cirurgia, houve conseguir um aumento de 40 ± 29% em CL, 86 ± 39% em CF e 22 ± 11% em RD. CONCLUSÃO: o uso pré-operatório de bisfosfonatos parece atenuar a aspiração óssea sem evitar o marcante aumentar de volume óssea durante seguimento da paratireoidectomia.

Você está assistindo: Dor de cabeça causada por fome

difosfonatos; osso e ossos; hiperparatireoidismo


OBJECTIVE: come assess a effect of bisphosphonates on post-parathyroidectomy hypocalcemia in patients with osteitis fibrosa cystica. METHODS: review of the medical registro of seis patients using bisphosphonates preoperatively. RESULTS: Mean agir was 35.6 ± 10.5 years; serum calcium = 13.51 + 0.87 mg/dL; iPTH = 1,389 + 609 pg/mL. The mean value of pee deoxypyridinoline (UDPD) of 3 patients era 131 ± 183 nmol/mmol Cr, e of C-telopeptide (CTX), 2,253 ± 1,587 pg/mL. Ns mean worths of bone densitometry (T score) were as follows: 0.673 ± 0.150 g/cm² (-4.42 ± 1.23) in lumbar spine (L2-L4); 0.456 ± 0.149 g/cm² (-5.58 ± 1.79) in the femoral neck; e 0.316 ± 0.055 g/cm² (-5.85 ± 0.53) in radius 33. Patient 1 received oral alendronate, 30 mg/day for four weeks; his calcium decreased em ~ 14 to 11.6 mg/dL, e his UDPD a partir de 342 to 160 nmol/mmol Cr. Patience 2 received oral alendronate, 20 mg/day ao six weeks; his calcium decreased a partir de 14 to 11.0 mg/dL and his UDPD são de 28.8 come 14 nmol/mmol Cr. Patience 3 obtained intravenous pamidronate, 90 mg prior come surgery. Patient 4 received boca alendronate, 140 mg/week porque o six weeks; her calcium decreased são de 13.7 come 12.3 mg/dL and her CTX em ~ 2,160 come 1,340 pg/mL. Patient 5 received oralmente alendronate, 140 mg/ week porque o six weeks; her calcium level dropped são de 14.3 to 14.1 mg/dL; she CTX did no change. Patience 6 got ibandronate, 150 mg, ten dia prior to surgery; his CTX decreased by 62%. Enquanto patient arisen severe hypocalcemia in the first postoperative week. 1 year ~ surgery, ns mean gain in bone mineral density ser estar 40% ± 29% in L2-L4, 86 ± 39% in the perna neck, e 22% ± 11% in radius 33. CONCLUSION: a preoperative use of bisphosphonates appears to attenuate bone hunger there is no preventing der significant boost in bone massive in the follow-up that parathyroidectomy.

hyperparathyroidism; bone; bisphosphonates


ARTIGO ORIGINAL

Bisfosfonatos podem minimizar a aspiração óssea após paratireoidectomia em pacientes alcançar hiperparatireoidismo primária e osteíte fibrosa cística

Tatiana Clementino Pinto Toscano de FrançaI; Luiz GrizII; jorge PinhoIII; Erik Trovão DinizI; Luena dia de AndradeI; Cynthia Salgado LucenaI; Susyane Ribeiro BeserraIV; Nadja Maria horge AsanoV; Ângela Pinto DuarteVI; francisco BandeiraVII

IPós-Graduada em Endocrinologia pelo hospitais Agamenon Magalhães - MD

IIPós-Graduado em Endocrinologia e Mestrado em Hebiatria para ele UPE - MD

IIIPós-Graduado em operação de Cabeça e antiguerrilha - MD

IVPós-Graduada em Reumatologia cabelo Hospital do Clínicas da UFPE - MD

VPós-Graduada em Reumatologia para o UFPE e hierarquicamente em farmacêutico Tropical dar UFPE - MD

VIMestrado em medicina Tropical e Doutorado em Reumatologia pela UFPE - MD

VIIDoutorado em Saúde pública pela fundação Oswaldo a cruz - MD, PhD, enfrentar

Correspondência para

RESUMO

OBJETIVO: juiz o efeito são de bisfosfonatos na hipocalcemia pós-paratireoidectomia em pacientes com osteíte fibrosa cística.

MÉTODOS: ser estar revisados os prontuários de seis paciente que faço uso pré-operatório de bisfosfonatos.

RESULTADOS: anos média aquisição de 35,6 ± 10,5 anos; cálcio sérico 13,51 ± 0,87 mg/dL; PTHi 1.389 ± 609 pg/mL. O valor médio de deoxipiridinolina urinária (UDPD) de três pacientes adquirindo de 131 ± 183 nmol/mmol Cr; e a partir de C-telopeptídeo (CTX) de 2.253 ± 1.587 pg/mL. Densitometria óssea (escore T) obteve médio de 0,673 ± 0,150 g/cm2 (-4,42 ± 1,23) em pilar lombar (CL); 0,456 ± 0,149 g/cm2 (-5,58 ± 1,79) em colo de fêmur (CF) e 0,316 ± 0,055 g/cm2 (-5,85 ± 0,53) em rádio 33 (RD). Um paciente recebeu alendronato boca 30 mg/dia pela 4 semanas; o calcio diminuiu de 14 para 11,6 mg/dL e UDPD de 342 ao 160 nmol/mmol Cr. Diferente usou alendronato boca 20 mg/dia através 6 semanas; o calcio baixou de 14 para 11,0 mg/dL e UDPD de 28,8 para 14 nmol/mmol Cr. Um paciente recebeu pamidronato 90 medicamento endovenoso ante da cirurgia. Um paciente usou alendronato oral- 140 mg/semana através 6 semanas; o cálcio diminuiu de 13,7 porque o 12,3 mg/dL e o CTX de 2.160 para 1.340 pg/mL. Diferente usou alendronato VO 140 mg/semana por 6 semanas; o calcio baixou de 14,3 porque o 14,1 mg/dL; ministérios CTX algum reduziu. Um doentes fez ibandronato 150 medicamento 10 dias ante da cirurgia; emprego CTX reduzir em 62%. Nem paciente desenvolveu hipocalcemia dig na em primeiro lugar semana do pós-operatório. Um ano após a cirurgia, houve aumentar de 40 ± 29% em CL, 86 ± 39% em CF e 22 ± 11% em RD.

CONCLUSÃO: ministérios uso pré-operatório de bisfosfonatos visual atenuar a aspiração óssea sem evitar o marcante conseguir um aumento de volumes óssea durante seguimento da paratireoidectomia.

Palavras-chave: difosfonatos osso e ossos hiperparatireoidismo.

INTRODUÇÃO

O hiperparatireoidismo primária (HPTP) denominações um distúrbio comum do metabolismo mineral, caracterizando-se para ele hipersecreção são de hormônio ns paratireoides (PTH).1 prazo 80% dos pacientes apresenta a formato assintomática; litíase renal acontecer em 15%-20%, e doença óssea em menos de 5%.2 ministérios diagnóstico do HPTP baseia-se na detectar de hipercalcemia e nível de PTH elevados.3,4 Embora naquela maioria no pacientes seja respeitável assintomática, muitos podem alusão manifestações inespecíficas, incluindo sintomas de personagem musculoesquelético, gostar fadiga, fraco muscular, mialgias e sintomas fibromiálgicos.5 der prevalência e a causa raiz de como sintomas mas não são, entretanto, total esclarecidas. Um estudo brasileiro mostrou redução desses sintomas em 61,5% de 15 paciente submetidos à paratireoidectomia.6 Dores ósseas podem acontecer em decorrência de fraturas osteoporóticas alternativa da osteíte fibrose cística (OFC).

A claro representa a forma grave dá HPTP, na qual ocorrem as alterações radiológicas típicas, como os osteoclastomas. Together dosagens de N-telopeptídeo urinário e C-telopeptídeo sérico ser estar significantemente elevadas nos suporte da festa óssea grave. Esses marcadores ósseos geralmente presente uma diminuição importante depois de ~ a paratireoidectomia.7 Em geral, der maioria a partir de pacientes alcançar OFC crescimento hipocalcemia dig logo depois de ~ a paratireoidectomia, em decorrência da síndrome da aspiração óssea, que é secundária à alta remodelação osso e adicionando proeminente na falta de vitamina D concomitante.4,7-9 durante o hiperparatireoidismo, existir um bang de intenso remodelação óssea, resultando no efluxo de calcio do osso. Depois de a paratireoidectomia, a queda abrupta a partir de níveis de PTH causa um desequilíbrio entre a formação óssea mediada pelos osteoblastos e der reabsorção osso mediada pelos osteoclastos, influência o escoamento ósseo de calcio e levando der um aumentar intenso da captação sobre isso íon pele osso, ministérios que causa a hipocalcemia.10 Em pacientes alcançar HPTP leve, os bisfosfonatos reduzem der remodelação osso e os nível de cálcio sérico. aprender ancestral revelavam o risco do frozen bone, ou seja, de os bisfosfonatos impedirem o ganhar de massa óssea que ocorria após a paratireoidectomia. Porém, praticamente que existem dados na porta sobre ministérios uso pré-operatório de bisfosfonatos em paciente que está dentro submetidos à paratireoidectomia, em especialmente nos proprietário de OFC.

O objetivo deste itens é descreve o efeito dos bisfosfonatos na remodelação osso e na prevenção da hipocalcemia grave causa pela síndrome da fome óssea após paratireoidectomia em six pacientes alcançar hiperparatireoidismo primária grave.

MÉTODOS

Foram estudados seis pacientes abranger diagnóstico de osteíte fibrosa cística que faço uso pré-operatório de bisfosfonatos. Tudo os dados foram coletados ns revisão são de prontuários. O trabalho foi aprovado pelo comitê de ética são de Hospital Agamenon Magalhães (número de acordo no CEP: 276/2006).

Foram dosados cálcio, fósforo (P), fosfatase alcalina, calciúria de 24 horas, utilizando ministérios sistema VITROS 950 (Johnson-Johnson Company), e PTH séricos e marcação de reabsorção óssea - deoxipiridinolina urinária (UDPD), NTX (N-telopeptídeo) alternativamente CTX (C-telopeptídeo) séricos -, usado o método de eletroquimioluminescência (Elecsys - Roche Diagnostics GmbH, Mannheim, Alemanha). Os coeficientes de variação interensaio e intraensaio foi ~ respectivamente de 10% e 12%. Together dosagens de cálcio e marcadores de re-absorção óssea ser estar realizadas no decorrer início e depois de o término do tratamento alcançar bisfosfonatos enquanto pré-operatório. O cálcio sérico adquirindo dosado até no em primeiro lugar dia depois de ~ a paratireoidectomia.

A densitometria óssea adquirindo realizada em todos os pacientes antes do uso no bisfosfonatos e em quatro paciente um ano depois de a cirurgia. A densidade mineral óssea aquisição medida em coluna lombar (L2-L4), colo do fêmur e antebraço distal por da absortiometria abranger dupla estar engajado em de raio X (Lunar coporação, grupo Madison, Wisconsin, EUA), ser os resultados expressos em g/cm2 e T-score. O fator de variação obtivermos de 0,9% para naquela L2-L4, de 1,2% para ministérios colo a partir de fêmur e de 2% para emprego rádio 33.

Os critérios de inclusão foram os seguintes: pacientes abranger diagnóstico de HPTP, confirmado pela hipercalcemia (cálcio sérico > 10,2 mg/dL) e PTH elevado; presença de propriedades radiológicas compatíveis alcançar osteíte fibrosa cística, gostar de tumor marrom (osteoclastoma), reabsorção óssea subperiostal, desmineralização em "sal e pimenta" são de crânio; e osteopenia na densitometria óssea.11 Os critério de exclusão é considerado foram: pacientes alcançar história de usar de bisfosfonatos 6 meses antes do uso durante pré-operatório; metalúrgico de reposição hormonal alternativamente terapia antirreabsortiva concomitante; usar de medicações o que interferem enquanto metabolismo osso (anticonvulsivantes, corticosteroide, excesso de vitamina D alternativamente A); outras doenças concomitantes que interferem durante metabolismo ósseo (doença de Paget, osteogênese imperfeita, artrite reumatoide, lúpus eritematoso sistêmico); creatinina sérica > mg/dL; história de alergia alternativa intolerância ao bisfosfonatos; pacientes com sintomas gastrointestinais alto ativos.

RELATO no CASOS

Caso 1: paciente de 32 anos, sexuada masculino, negro, abranger história de fratura em membro inferior para a direita (MID), clavícula deixou e membro superiores esquerdo (MSE) tenho 4 a idade e em colo dá fêmur há 10 meses. Vir exame físico, apresentava-se abranger estado geral regular, afebril, corado. Em topografia são de polo superiores da tireoide, proposta um nódulo endurecido. Aparelhos cardiovascular e respiratório normais, pressão artérias (PA) de 120 × 80 mmHg e frequência cardíaca (FC) de 80 bpm. Abdome não tem alterações. Apresentava agonizante à mobilização a partir de membros inferiores (MMII), o que o impossibilitava de deambular, além de cordialidade e coradas no joelho direito. Foi ~ realizados os seguintes exames: PTHi = 1.196,0 pg/mL; cálcio sérico = 14 mg/dL; fosfatase alcalina = 717 UI/L; osteocalcina = 234,4 ng/mL; creatinina urinária (24 horas) = 1.056,0 mg/24 h; deoxipiridinolina urinária (UDPD) = 342,8 nmol/mmol de creatinina. Densitometria óssea: rádio 33: 0,303 g/cm2 (-6,04 DP); L2-L4: 0,517 (-5,58 DP); colo a partir de fêmur: 0,350 g/cm2 (-8,62 DP). Iniciou-se tratamento com alendronato 30 mg/dia pela 30 dias. Ser estar realizados novo exames: UDPD = 160,5 nmol/mmol de creatinina e calcio = 11,6 mg/dL. Aquisição submetido der tireoidectomia parcial + paratireoidectomia subtotal (histopatológico: adenoma de paratireoide). Evoluiu no decorrer pós-operatório abranger quadro leve de hipocalcemia (parestesias e câimbras), existência necessário somente o usar de cálcio oral. Exames pós-cirurgia: PTHi = 5,2 pg/mL; cálcio = 7,4 mg/dL. Densitometria óssea: rádio 33: 0,384 g/cm2 (-5,17 DP); L2-L4: 0,673 g/cm2 (-4,73 DP). O ganhar de volumes óssea demonstrado na densitometria obtivermos de 26% no decorrer rádio 33 e de 30% na L2-L4, depois de ~ 1 ano da paratireoidectomia.

Caso 2: paciente de 25 anos, sexualmente masculino, branco, abranger história de dores ósseas, predomina em MMII e área lombar, além de fraco muscular generalidade há 1 ano. Pouco tempo depois, notou naquela presença de ns tumoração na coxa direita, tendo sido submetido der uma operação ortopédica (histopatológico compatível com cisto ósseo aneurismático). ~ por exame físico apresentava-se alcançar estado em geral regular, afebril, hipocorado (++/4+). Apresentava um nódulo endurecido, de aproximado 3,0 cm, em topografia de lobo esquerdo da tireoide. Patrimoniais cardiovascular e respiratório normais, PA = 130 × 80 mmHg, FC = 80 bpm. Abdome não tem alterações. Existe de dois cicatrizes cirúrgicas em perna e enfrentar medial são de joelho correto e tumoração em enfrentar lateral da femoral esquerda. Passou a ser solicitados exames: PTHi = 746 pg/mL; cálcio = 14,0 mg/dL; calciúria = 367,2 mg/24 h; fosfatase alcalina = 2.820 UI/L; UDPD = 28,8 nmol/mmol de creatinina. Densitometria óssea: rádio 33: 0,409 g/cm2 (-4,93 DP); L2-L4: 0,779 g/cm2 (-3,84 DP); colo do fêmur: 0,430 g/cm2 (-5,33 DP). Ultrassonografia cervical demonstrou nódulo sólido de 3,6 centimeter posterior vir lobo esquerdo da tireoide. Adquirindo realizada uma cintilografia de alicerçada inteiro com Sestamibi o que evidenciou fotografias de hipercaptação em paratireoide inferior deixou e gamas de hipercaptação em fêmur esquerdo. Obtivermos iniciado alendronato 20 mg/dia por 6 semanas, observando-se progressivo melhora da astenia e redução da tumoração da fêmur esquerda. Ministérios paciente obtivermos submetido naquela uma paratireoidectomia (histopatológico compatível alcançar carcinoma da paratireoide alcançar invasão de cápsula e permeação vascular). Evoluiu no pós-operatório com hipocalcemia leve, com reposição oralmente de cálcio e vitamina D. Exames pós-cirurgia: cálcio = 8,2 mg/dL e PTHi = 24 pg/mL. Densitometria óssea depois de ~ 1 ano da cirurgia: rádio 33: 0,449 g/cm2 (-4,43); L2-L4: 0,810 g/cm2 (-3,58); colo do fêmur: 0,687 g/cm2 (-3,19); provar um aumentar de massa osso de 10% em rádio 33, 4% em L2-L4 e 60% em colo dá fêmur.

Caso 3: mulher de 38 anos, branca, alcançar história de operação ortopédica devido der uma tumoração em tíbia deixou (histopatológico: cisto osso aneurismático) havido 4 anos. Apresentou, posteriormente, fratura e fotografias radiológica sugestiva de tumor marrom no decorrer membro acometido anterior e litíase renal. Foram solicitados exames: calcio sérico = 11,9 mg/dL; p = 1,9 mg/dL; PTHi = 1.268 pg/mL; fosfatase alcalina = 2.821; calciúria de 24 hora = 327 mg/24 h; UDPD = 22,5 nmol/mmol de creatinina. Densitometria óssea: radio 33: 0,264 g/cm2 (-6,31 DP); L2-L4: 0,530 g/cm2 (-5,59 DP); colo a partir de fêmur: 0,234 g/cm2 (-6,22 DP). Foi submetida à paratireoidectomia (histopatológico: adenoma de paratireoide), enquanto recebeu 90 medicamento de pamidronato 24 horas antes da interferir cirúrgica. Exames pós-cirurgia: cálcio = 8,2 mg/dL; PTH = 2,8 pg/mL. Densitometria óssea após 1 ano da paratireoidectomia: rádio 33: 0,347 g/cm2 (-5,14 DP); L2-L4: 0,877 g/cm2 (-2,69 DP); colo são de fêmur: 0,541 g/cm2 (-3,68 DP), o que demonstra um pegue de massa óssea de 32% em radio 33, 65% em L2-L4 e 131% em colo do fêmur.

Caso 4: Paciente do sexo feminino, 42 anos, alcançar relato de tumoração na face anterior da perna esquerda tenho 2 anos. Pesquisado serviço de ortopedia, balsa realizou exérese tumoral de quem histopatológico diagnosticou tumor de célula gigantes. Durante ano segue notou surgimento de tumorações em antebraço e perna direita de quem biópsia revelou "tumor marrom". Exames: CTX = 2.160 pg/mL; PTHi = 1.040 pg/mL; cálcio sérico = 13,7 mg/dL; 25-hidroxi-vitamina D (25OHD) = 10 ng/mL; p = 2,0 mEq/L. Radiografia do skullcap mostrou lado de sal e pimenta em calota craniana; MMSS: lesão lítica em terço longe da ulna direita; MMII: lesão lítica em terço media da tíbia direita. Densitometria óssea: L2-L4 = 0,582 g/cm2 (-5,15 DP) e colo são de fêmur = 0,565 g/cm2 (-3,45 DP). Cintilografia alcançar Tc-99m-Sestamibi: hipercaptacão em paratireoide superior esquerda. Adquirindo iniciado tratamento com alendronato 140 mg/semana VO através dos 6 semanas. Realizaram-se paratireoidectomia inferior lado esquerdo (histopatológico: adenoma de paratireoide) e lobectomia tireoidiana esquerda depois de localização transoperatória por gamma probe. Depois de ~ 1 semana, evoluiu alcançar quadro leve de hipocalcemia. Exames pós-cirurgia: UDPD = 29,2 nmol/mmol de creatinina; PTHi = 40 pg/mL; cálcio sérico = 8,3 mg/dL. Adquirindo iniciado tratamento alcançar cálcio boca e vitamina D3. Densitometria óssea one ano após a cirurgia: L2-L4: 0,940 g/cm2 (-2,16 DP) e colo dá fêmur: 0,942 g/cm2 (-0,32 DP); assinalou um aumento na massa osso de 61% em L2-L4 e de 66,7% em colo do fêmur.

Caso 5: Paciente a partir de sexo feminino, 52 anos, abranger relato de que há 6 estou vivendo iniciou um desenhado de dor nas pernas, cãimbras, poliartralgia e dores nas costas. Os exames mostraram cálcio de sérico de 13,6 mg/dL e PTHi = 1.193 pg/mL, sendo conclusão o diagnóstico de hiperparatireoidismo primário. Naquela cintilografia óssea mostra hipercaptação difusa no esqueleto axial e apendicular, e a conclusão sugeria eu imploro seu perdão o critério cintilográfico era compatível abranger hiperparatireoidismo. Naquela paciente se recusou a ser submetida à paratireoidectomia. Há 5 anos adquirindo diagnosticada ns fratura de fêmur correto e obtivermos feita uma cirurgia. Sim 1 ano, a paciente teve uma fratura no decorrer ombro direito e procurou atendimento médico. Exames: cálcio sérico = 14,3 mg/dL; PTH = 1.588 pg/mL; CTX = 4.050 pg/mL. Radiografia são de crânio: aspecto de sais e pimenta em calota craniana; radiografia de MMII alcançar osteoclastomas em fêmur direito e esquerdo e joelho esquerdo. Densitometria óssea: L2-L4 = -2,48 DP (0,882 g/cm2), colo dá fêmur = -5,7 DP (0,639 g/cm2) e rádio 33 = -5,96 (0,288 g/cm2). USG cervical: observou-se nódulo sólido hipoecoico, doação 3,8 cm no maior diâmetro, sugestivo de nódulo sólido de paratireoide fundo direita. A cintilografia alcançar Tc-99m-Sestamibi mostrou gamas de lado nodular de intensa hiperconcentração anômala a partir de traçador na área cervical antes de (topografia são de lobo correto da tireoide e/ou paratireoide à direita), notando-se, ainda, gamas de hiperacúmulo dá traçador durante terço media da perna e durante joelho à esquerda. Obtivermos iniciado tratamento abranger alendronato 140 mg/semana VO através 6 semanas. Realizou-se paratireoidectomia inferior direito (histopatológico: adenoma de paratireoide). Após uma semana, a paciente evoluiu durante pós-operatório alcançar quadro leve de hipocalcemia (parestesias e câimbras). Exames pós-cirurgia: PTHi = 192 pg/mL; cálcio = 8,5 mg/ dL. Teve alta hospitalar assintomática e medicamento de prescrição de calcio oral e vitamina D3.

Caso 6: Paciente dá sexo masculino, 25 anos, com relato de que há 3 estou vivendo iniciou um retirou de artralgia em joelho esquerdo, evoluindo para dor em pernas deixou e direita, abranger limitação da deambulação. Os exames laboratoriais eu mostrei PTHi = 2.498 pg/mL; cálcio sérico = 13,2 mg/dL; ns = 2,0 mEq/L; CTX = 1.669 pg/mL; 25OHD = 10,4 ng/mL; e fosfatase alcalina = 1.314 U/L; calciúria de 24 hora = 50 mg/24 h. Exames de imagem mostraram fotografias radiológica sugestiva de osteoclastoma (tumor marrom) em região potencial elétrico de fêmur esquerdo e lado de sal e pimenta em calota craniana. Naquela USG cervical mostrou fotografias nodular fixo hipoecoica, em lobo inferior para a direita de tireoide, de abrangendo 3,6 × 2,2 cm. A US de seqüestrar e vias urinárias eu mostrei litíase rim bilateral. Naquela cintilografia de corporal inteiro alcançar Sestamibi evidenciou captação focal no polo inferior são de LD de tireoide, sugestivo de adenoma de paratireoide inferior direita. Densitometria óssea: radio 33: 0,320 g/cm2 (-6,03 DP); L1-L4: 0,750 g/cm2 (-3,9 DP); colo do fêmur: 0,523 g/cm2 (-4,2 DP). Foi administrado ibandronato 150 mg 10 dias ante da cirurgia. Ministérios paciente obtivermos submetido à paratireoidectomia inferior direito (histopatológico: adenoma de paratireoide). Exames 24 horas após a cirurgia: PTHi = 11,07 pg/mL; Ca = 8,8 mg/dL; e albumina (Alb) = 4,1. Adquirindo iniciado tratamento alcançar cálcio e vitamina D depois de ~ a cirurgia. Exames realizado 6 meses depois de ~ a cirurgia mostraram Ca = 9; Alb = 3,8; CTX = 636 pg/mL; 25OHD = 33 ng/mL. Densitometria óssea 6 meses após a cirurgia: rádio 33: 0,444 g/cm2 (-5,6 DP); L1-L4: 0,954 g/cm2 (-2,3DP); colo de fêmur: 0,707 g/cm2 (-2,8DP), emprego que demonstra um ganhar de massa osso de 38,7% em rádio 33, 27,2% em L1-L4 e 35,1% em colo são de fêmur.

RESULTADOS

Foram avaliados six pacientes com diagnóstico confirmado de osteíte fibrosa cística, ser três denominações e n ° 3 homens, abranger média de a idade de 35,6 ± 10,5 anos, variando entrada 25 e 52 anos.

As médio e desvios-padrão iniciais são de parâmetros laboratoriais foram os seguintes: calcio sérico: 13,51 ± 0,87 mg/dL; P: 2,01 ± 0,52 mg/dL; PTHi: 1.389 ± 609 pg/mL; fosfatase alcalina: 1.918 ± 1.070 U/L; calciúria de 24 horas: 221 ± 106 mg/24h; UDPD: 131 ± 183 nmol/mmol de creatinina; e CTX: 2.253 ± 1.587 pg/mL.

Ver mais: Do Que São Feitas As Nuvens ? Em Que Diferem Umas Das Outras

Os valores do calcio sérico inicial, após uso no bisfosfonatos e pós-operatório imediatamente de tudo os paciente são expressos na escritório 1.